Diários de Produção – 16/02/23

Bom, é hora de prestarmos contas do andamento atual do novo BRIGADA LIGEIRA ESTELAR RPG (o último Diário foi de agosto). Por motivos pessoais, precisei desacelerar a produção nos últimos meses e acho bom comentar o corrente estágio de produção. Aqui preciso fazer uma advertência — não faço parte do time de desenvolvimento do novo 3DeT, embora eu trabalhe com o Marlon Teske (um dos cabeças do projeto). Ou seja, vou conhecendo as regras aos poucos.

Minha experiência até agora foi simples: os combates definitivamente estão mais velozes e sem enrolação. A Habilidade deixou de ser um bicho-papão para quem o temer e cada atributo tem seu papel bem definido. Mas Brigada tem suas próprias complexidades a resolver. Alguns conceitos precisam ser diferentes do sistema-base em nome do cenário — até T20* está vivendo isso. Então vamos lá: em quais aspectos o sistema variará em relação ao 3DeT Victory?

PERÍCIAS: 3DeTV acabará com as especializações. Todo mundo pode fazer qualquer coisa e cada perícia significa um domínio absurdamente amplo em cada campo: você não é só muito bom, você é um dos melhores do mundo! Por exemplo, quem tem “máquinas” é um mega-hacker, pilota naves, constrói robôs… mas isso pode ser excessivo. Vocês conseguem imaginar uma idol adolescente cabeça-de-vento sendo também uma escritora, escultora, pintora E cineasta genial?

Não ferra, gente.

Bom, isso pode ser feito… mas bate de frente com as nossas referências do gênero. Minha proposta para as especializações é: ao invés de comprar uma perícia completa por um ponto, você pode optar por ganhar três especializações com esse mesmo valor, podendo ser de diferentes campos. Você ainda será um dos melhores do mundo em algo mas ser “O” piloto de combate não o credenciará a criar seu próprio robô. Em troca, você pode se tornar mais versátil.

ESCALAS: apesar do novo sistema ter trocado a régua de escala por críticos adicionais de dano, eu fiz questão de mantê-la por um motivo: ela soluciona um velho problema de Brigada em 3D&T Alpha — as escalas intermediárias. Por várias vezes, tentei contrabandear esse conceito para o Alpha… e isso sumia na edição. Era importante para poder representar armaduras menores, veículos e outros itens de combate. Nesse sentido, o jogo é sobre equipamentos.

Veículos menores sempre foram um problema.

Por causa disso, máquinas menores (como as armaduras couraceiras) tendem a se tornar massas imensas de pontos na escala ningen**. E essa solução sempre depôs contra a simplicidade do sistema para mim. O consenso é mantê-lo apenas no Brigada mas tem sido soprada, no meu ouvido, uma potencial solução conciliatória. Estou disposto a ouvir, estou disposto a testar… mas, no geral, tenho me agarrado à régua de escalas como a solução mais prática mesmo.

ANEXOS (ou CARGA, ainda não decidi): os Tepeques — anexos com capacidades especiais, ataques próprios, bônus de ataque ou defesa, etc. — são cruciais para o cenário, e a minha proposta parece ter sido bem recebida. RX2 equivale a um número em pontos de anexos: se uma nave, robô ou veículo tiver R3, por exemplo, eles ganharão um espaço de seis pontos móveis para adicionar itens especiais ou armas especiais. Você poderá ter quantos tepeques quiser…

Tepeques: anexos podem fazer muita diferença.

…mas só poderá usar o correspondente a esse espaço. Assim, se o jogador tiver um tepeque de dois pontos, um tepeque de três e um de quatro, ele poderá usar apenas dois deles ao mesmo tempo, dependendo da matemática (ou seja, você não poderá usar simultaneamente os tepeques de três e quatro pontos — porque eles somam sete e isso excede sua capacidade em um ponto). Mas poderá obter espaço extra… a um preço estrutural para seu robô, nave ou veículo.

VALOR, ESTRESSE E TRAUMA: minha proposta para reformular o Valor sob a nova ordem, como já falei em algum lugar deste canto na internet, é a de usar os pontos adquiridos para transformar o menor resultado em um crítico. Assim, os personagens podem ganhar “pontos de valor” por seus feitos… e acumulá-los até dez no máximo, podendo convertê-lo em um 6 quando for a hora certa. “E se eu tirar 6, 6 e 6 e gastar valor?” Você acaba de fazer o impossível!

Faça sua narração épica para contar aos netos!

O Estresse realmente precisa ser melhor discutido, então vamos deixar o conceito cozinhando. Provavelmente envolverá Perdas — e dados a menos. Mas o conceito mais importante nesse terreno é o Trauma: assim como um personagem pode ser morto em um combate físico, as mesmas regras em combates sociais podem ser aplicadas e o nosso protagonista, ao invés de morrer, sofrerá um… trauma correspondente a ser determinado pelo mestre. Esperem mais detalhes.

PARA ENCERRAR (POR ORA): Há muito a ser desenvolvido ainda — e como o sistema de regras é mais enxuto em comparação com o Alpha, é bem possível a inclusão de mais lore no texto final a essa altura. Teremos também no forno uma pequena surpresa enquanto o RPG em si não chega. Mas isso vamos falar no devido momento. Enfim, estamos trabalhando. Enquanto isso, dêem um pulo na nossa comunidade no Discord e comentem, certo?

Até a próxima — e divirtam-se.

Hora de voltar a trabalhar — mas, antes, um cafezinho.

* Vide A Lenda de Ruff Ghanor.

DISCLAIMER: Macross Delta é propriedade de Satelight Inc., Studio Nue, Inc. e Big West Advertising Co.; Gundam: Reconguista in G e Armored Trooper Votoms pertencem à Bandai Namco Filmworks, Inc.; Tengen Toppa Gurren Lagann é propriedade da Gainax Co., Ltd.; Imagens usadas para fins jornalísticos e divulgacionais, sem infração de direitos intelectuais.

4 comentários

  1. Em relação as perícias, acho que é a decisão mais acertada, mesmo para os padrões de 3DeT pra mim três especializações por 1pt é bem melhor que uma perícia completa.

    Eu sou de boa com as escalas, mas praticamente todos que jogaram comigo até agora sempre reclamaram. E geral vem gostando das propostas de mudanças no 3DeT, espero que consiga acha algo mais viável que a antiga escala do 3D&T Alpha.

    Anexos, ao menos para mim, soa bem melhor que Carga e principalmente que Tepeques kkkk

    Valor, Estresse e Trauma parece interessante, de cabeça só consigo lembrar do joguinho Darkest Dungeon e do anime Evangelion. Seria legal que a base fosse Valor e Estresse, e que além dos efeitos variáveis, acumulação de ambos leve a pontos permanente em algo tipo fama / reputação pra Valor e esses traumas para Estresse.

    E excelente notícia que teremos mais espaço para lore, particularmente espero que o básico de BLE apenas expanda a customização das regras para valorizar o cenário, e não crie regras alternativas demais e tal. Além de lore, geradores de personagens, NPCs (aliados e inimigos) e aventuras seria uma adição fantástica ao livro básico.

  2. Confio na Jambô pra tocar a tarefa e, sendo bem sincero, GRAÇAS A DEUS que resolveram o problema de Habilidade, isso sempre foi um puta empecilho e por mais que dessem piruetas pra não mudar as regras, não havia outro jeito e todos sabíamos disso. Todos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s