Por Trás do Sabre: Asteroide Schulman

Quando fui projetar os mundos de Brigada Ligeira Estelar, anotei as necessidades do cenário a partir dos referenciais do gênero ao alcance das mãos… e, pouco a pouco, fui me dando conta: seriam muitas. Ah, como seriam. Uma delas era um local não tão sério quanto o restante da ambientação — algo mais divertido, quase à parte das principais tramas do cenário. Outra era um local com um sabor mais… contemporâneo, mais próximo de nossa vivência atual.

Esses dois problemas foram resolvidos de uma tacada só com o Asteroide Universitário Schulman. A ideia foi rápida e rasteira de se executar: um asteroide aonde os jovens da constelação vão estudar… e, longe dos pais, da nobreza, da política (salvo pelo pessoal do DCE), de tudo, acabam em uma estrutura com seus próprios termos. Pouco importa se seu personagem é o filho de um duque: lá, você não passa de um filhinho de papai com carrão (flutuante).

Eu ainda precisaria de uma ligação com os elementos de ação de Brigada — os robôs gigantes, os pilotos, tudo isso — mas o tema da cidade universitária resolveu de cara até isso: centros de pesquisa. Cibernética? Tecnologia? Schulman teria. E, claro, universidades não terminam em si — há sempre um entorno ao seu redor, com restaurantes e livrarias. Imaginem em um local isolado aonde as pessoas vivem: seria preciso ter de tudo. E pronto, resolvido.

A Saraswati de Adam Warren: eu precisava pôr essa página na íntegra.
É um caso especial e qualquer edição de imagem não lhe faria justiça.

Referências Iniciais

Eu me permiti colocar uma base da Brigada Ligeira Estelar “por segurança” — mas nem era algo fundamental. A ideia era manter essa independência temática mas criar um vínculo com o cenário caso a decisão do mestre seja envolver estudantes nessas questões. A primeira e mais forte influência foi a Saraswati de Adam Warren no seu brilhante Titans: Scissors, Paper, Stone. O conceito é o mesmo, embora a natureza dos cenários seja diferente. E tem mais.

Se pensarmos bem, a “cidade normal” no espaço é recorrente desde o começo do Real Robot. São as colônias do Gundam original. É a cidade de Macross, dentro de uma nave e onipresente em séries como Macross 7 e Macross Frontier. É a (spoiler) de Megazone 23. É o Módulo 77 da JIOR de Valvrave the Liberator. E se no primeiro desta lista esse cenário era um mero ponto de partida, nos demais ele era a vida normal a ser protegida — e com todas as forças.

Cidades no espaço precisam oferecer os mesmos atrativos de uma cidade normal.

Por um lado, dá para conduzir tudo até mesmo como uma história estudantil como tantas outras nos animes e mangás, sem arcar com o peso da vida militar. Não é difícil escolher um tom: comédia, drama, qualquer coisa, e envolvê-los no lado sci-fi da força através de conspiração, espionagem, algum protótipo escondido (e desejado por alguém de fora)… é só lembrar das diferenças entre as experiências colegial e universitária — esta traz mais liberdade.

A ideia de fazer dos protagonistas pilotos de protótipo, envolvidos pelo acaso, pode ser útil — mas envolvê-los na criação de robôs também é uma boa pedida. Animes como o fanserviceiro Tenchi Muyo! War on Geminar*, Aquarion Evol (esse se orgulha de ser brega)**, Full Metal Panic (quando há equilíbrio entre ação e humor***), o slice of life de Robotics; Notes… e até mesmo a arqueológica série de super-robô Albegas**** podem ser ótimas referências.

Deixe sua turma de robótica brincar com os recursos da universidade e você terá…

Schulman em Jogo

Schulman se localiza em um ponto seguro da constelação — mas agora, com a invasão proscrita, sempre há um risco de ameaça. Além disso, os projetos nos centros de pesquisas da universidade sempre podem trazer milícias e outros tipos perigosos, prontos para se infiltrar e causar problemas (a base da Brigada não existe à toa) — mas os personagens são jovens e estão pela primeira vez longe dos olhos vigilantes paternos. Como podem ser suas campanhas?

Combate: alguma força quer tomar o local. Os protagonistas são os únicos capazes de pilotar protótipos capazes de lhe dar vantagem contra os inimigos.

Comédia: pesquisas bizarras trazem problemas bizarros. Personagens excêntricos (o nerd inventor, por exemplo) ajudam nesse caos e tudo pode acontecer.

Cotidiano: vulgo “Slice of Life”. Não temos ação verdadeira mas apreciamos a vida dos personagens em seus desafios diários em torno de uma meta comum.

“Vamos construir nosso próprio robô gigante!”

Infiltração: os protagonistas se passam por estudantes para defender, proteger ou tomar alguma coisa (ou alguém) — mas com o tempo se envolvem demais.

Novela teen com robôs gigantes: convenhamos, o local pede. Os personagens são jovens, (podem ser) atraentes e estão longe de grandes pressões sociais…

Projeto Secreto: algo está sendo desenvolvido, oculto ao olhar público — e o destino da Constelação depende disso. Cabe a vocês proteger esse segredo.

É bom lembrar: tudo pode ser tocado de forma bem tradicional, caso o mestre queira. Há uma base da brigada para garantir isso, especialmente no caso dos alunos cuja presença é bancada pelo império: forças armadas tem especialistas em vários campos (médicos e exobiólogos, por exemplo). E a interação com as pessoas de fora da base é preciosa: sempre teremos alguma estudante mais bonitinha para despertar interesses em algum jovem piloto. É tradição.

Você não vai amarelar agora, vai, meu filho?

Dedicamos um capítulo ao Asteroide Schulman no suplemento A Constelação do Sabre, Vol. 2 (você pode obtê-lo AQUI). Alguns leitores vão perceber a mudança na grafia do nome. Na verdade essa é apenas uma correção: “Schulmann” foi um erro meu e estou aproveitando a oportunidade de uma nova edição para corrigir isso. E com a entrada dos Andro-Ginoides no cenário, a universidade viverá algumas mudanças no seu cotidiano… mas seu espírito não vai mudar.

O princípio por trás de Schulman sempre foi o de estabelecer um “refúgio da leveza” na Constelação mas isso sempre dependerá do mestre e dos jogadores — os tons dramáticos podem variar em qualquer local do cenário e a vida universitária também tem seu lado barra-pesada. Mesmo assim, os personagens estão vivendo alguns dos seus melhores momentos na vida e isso pode render muita diversão para mestres e jogadores.

Considerem essa ideia.

Até a próxima.

Sim, esse momento High School Musical veio de uma série de robôs gigantes. Sério.

* Tenchi Muyo! War on Geminar é mais um spin-off da interminável franquia Tenchi Muyo e mostra o meio-irmão do personagem-título, agora com a idade do protagonista original, em uma academia em outra dimensão aonde são treinados os pilotos dos robôs locais — os Mecanóides Sagrados. Como bom exemplar de Tenchi, aqui todas as mulheres são esculturais e se atiram sobre nosso protagonista bobalhão.
** Aquarion Evol: a dinâmica entre os personagens é perfeita nesse sentido. Eles são em sua maioria pilotos ou operativos de suporte, mas também são estudantes e agem como tal o tempo todo. E se prepare para as piadas de quinta série.
*** Full Metal Panic: de modo geral, a primeira série — em especial os sete primeiros episódios — são os melhores nessa mistura de comédia e ação com um personagem infiltrado. As continuações infelizmente não são tão equilibradas: tanto em
Fumoffu quanto em The Second Raid, houve uma perda de mão ao privilegiarem um aspecto ou outro.
**** Lightspeed Eletroid Albegas saiu no Brasil em VHS e basicamente é um rip-off zoado de Getter Robo. Mas boa parte da diversão vem do contexto dos personagens: eles são estudantes, construíram suas próprias máquinas de combate e a dinâmica geral é muito avacalhada.
NÃO SEI de onde veio a imagem do topo, dessa vez — se alguém souber me avise. Ele tem cara de campus universitário mesmo, então fui logo pegando.. Macross, Robotics; Notes, Aquarion Evol, Tenchi Muyo e todas as demais séries aqui mencionadas pertencem a seus respectivos proprietários e estão aqui em caráter meramente ilustrativo (é mais fácil do que mencionar todo mundo um a um). 😀

2 comentários

  1. Eu imagino como os alunos vão lidar com um monte de andro-ginoides impossivelmente lindos andando pelo campus. XD
    E tende a ser tornar um grande alvo para os Proscritos. O quartel de lá vai ter muito trabalho em breve.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s